Amigo da Alma Rotating Header Image

Vênus

VÊNUS

Sou Vênus, Afrodite(1), deusa Ishtar(2),
Rainha dos Destinos(3), Mãe dos Mares(4);
pastora dos rebanhos estelares,
sou Dalvestrela ao céu sozinha a estar.

Em Touro(5) eu bem fecundo a terra e os lares,
sou ventre dos desejos, luz de amar;
sou Vésper do crepúsculo e a arte em dar
aos espelhos(6) celestes seus sonhares.

Em Libra eu sou balanço de harmonia,
sou sedutora, estética e mandálica,
rosa de 5 pétalas(7), sou Vênus;

Sou eu a primazia da nau fálica
que, à noite, os céus singrando em nostalgia
descobre Deus no gozo e nada menos!

Nicolau Nicolei de Ptolodamus
Astrólogo do Rei
Porta-Céu de onde estamos
decassílabos heroicos
Sol a 25º20’08” de Touro
Lua Crescente a 18º28’21’’ de Virgem
Vênus a 19º22’30’’ em Touro, em casa VIII
Libra Ascendente a 15º17’

O Nascimento da Vênus, 1485 – obra de Sandro Botticelli (1445-1510)

_____________________________________

Notas mítico-astrológicas (por Paulo Urban):

(1) Afrodite dos gregos é Vênus entre os romanos.

(2) Nome pelo qual o planeta Vênus é conhecido na mitologia assírio-sumério-babilônica.

(3) ‘Dama dos Destinos’, ‘Rainha de Nínive’, ‘Deusa das Sortes’ são todos epítetos de deusa Ishtar.

(4) Afrodite nasceu do sêmen de Urano que, quando castrado por seu filho Cronos (Saturno dos romanos), derramou-se sobre o mar; este, ao misturar-se às ondas, fez formar a espuma de onde surgiu a deusa já crescida, que foi então levada à praia da Ilha de Chipre sobre uma concha. Por isso Afrodite é também chamada de mãe dos mares, razão pela qual o planeta Vênus exalta-se no signo de Peixes. Também, por analogia, Vênus pode ser associada à mãe Iemanjá, deusa dos mares no panteão afro Ioruba.

(5) Vênus é regente dos signos de Touro e Libra, ambos citados no soneto.

(6) Aqui o poeta faz alusão de dupla imagem, primeiramente porque o céu estrelado não somente é espelhado pelos mares (de onde nasceu deusa Vênus), como ele próprio serve de espelho aos poetas e sonhadores que nele se inspiram; já numa segunda leitura, a imagem poética nos reporta ao espelho ele próprio, objeto que Vênus-Afrodite, deusa da beleza, em sua vaidade sempre traz à mão; por sinal, o próprio símbolo do planeta Vênus, associado ao feminino, é um círculo com pequena cruz em sua parte inferior, glifo este que, de forma estilizada, representa um espelho.

(7) O modelo geocêntrico das órbitas de Sol e Vênus pode ser visualizado  neste link: a cada 8 anos precisamente, desenha-se uma perfeita rosa mandálica de 5 pétalas: https://www.youtube.com/watch?v=30yPAUkQ4ds

_____________________________________________

Para ler outro sonetastrológico de Mestre Nicolau, acesse: Mercúrio.

One Comment

  1. Patricia Camel disse:

    Ah, Vênus é mesmo o deleite dos sentidos, o caminho da concórdia, o fruto mais desejado! O quanto aprendi aqui, que divina Mandala!!

Leave a Reply