Amigo da Alma Rotating Header Image

Mercúrio

MERCÚRIO

Mensageiro dos deuses, pés alados,
eu faço a ligação do Olimpo ao Hades;
Exu(1) da encruzilhada, sou Quo Vadis(2),
eu guio os peregrinos pelos prados.

Sou Budham(3), Nebo(4), Thot(5) em divindades;
escriba, ensino a Língua, anoto os fados;
sinapses de eloquentes neurogrados,
sou ar, terra, intuição, muitas metades…

Sou Gêmeos, também Virgem, ser mutável(6),
sou mago da Alquimia, sou maiêutica;
Andrógino, sou seios, ventres, falos…

Sou Mãe dos paradoxos, deus instável,
também Pai do Hermetismo e da hermenêutica,
sou Mistérios e inda a arte em decifrá-los!

Nicolau Nicolei de Ptolodamus
Astrólogo do Rei
Porta-Céu de onde estamos
decassílabos heroicos
Sol a 18º31’39” de Áries
Lua Nova a 25º06’20’’ de Áries
Mercúrio a 3º38’39’’ de Touro, em casa VI (7).

_______________________________________

Notas mítico-astrológicas (por Paulo Urban):

(1) Assim como o Hermes grego (Mercúrio dos romanos), no panteão africano (religião Ioruba), Exu é também o senhor das encruzilhadas e de todos os caminhos e protetor dos viajantes. É ainda o ‘mensageiro dos orixás’, com o poder de receber e transportar nossas oferendas ao Orum, o Mundo dos Deuses. Por esta razão, Exu assume ainda o papel de divindade regradora das trocas, do comércio, e de todo tipo de comunicação, seja aquela que se estabelece entre os homens, seja a que se faz entre os homens e os deuses.

(2) Expressão latina cuja tradução é “Para onde vais?”. Pergunta proferida pelo Cristo, segundo podemos ler em João, 16, 5: “Agora que vou para Aquele que me enviou, nenhum de vocês me pergunta: Quo vadis?”

(3) Budham: planeta Mercúrio na astrologia hindu, filho de Chandra, o deus Lua.

(4) Nebo (ou Nabu): planeta Mercúrio na astro-mitologia babilônica; escriba dos deuses e filho de Marduk (Júpiter), o rei celestial.

(5) Thot: divindade egípcia antropozoomórfica, cabeça de íbis e corpo de homem, criadora da escrita e pai das três artes/ciências proibidas: a magia, a astrologia e a alquimia. Seus principais atributos fazem dele um correlato de deus Hermes, daí o fato de sua trina-sabedoria estar reunida sob o nome de hermetismo, que, dado a seu caráter oculto e complexo, é conhecimento exclusivamente reservado aos iniciados nos Mistérios.

(6) Mercúrio é regente de Gêmeos (elemento Ar) e Virgem (elemento Terra), ambos esses signos de modalidade ‘mutável’, cuja natureza os torna inquietos por excelência, demarcando assim casas/áreas da vida em nosso mapa natal onde mais experimentamos os múltiplos desejos, por vezes paradoxais, contraditórios entre si.

(7) Os sonetos de mestre Nicolau Nicolei não trazem a data em que foram escritos, senão as efemérides de Sol e Lua para cada composição, estes que especificamente se referem aos planetas trazem ainda a efeméride do astro sonetado. Aos que desejem, entretanto, ter melhor ideia do mapa astral de quando foram compostos, cumpre informar que os sonetos referentes aos 12 signos do zodíaco foram escritos mês a mês, entre dezembro de 2014 (Sagitário) e novembro de 2015 (Escorpião); já os sonetos referentes aos 10 planetas são obra começada em 2016.

___________________________

Para ler outro sonetastrológico de Mestre Nicolau, acesse: Sol.

2 Comments

  1. Patricia Camel disse:

    O mais acessível dos deuses!! De Hermes Trimegisto a Mestre Nicolau Nicolei de Ptolodamus, este pequeno notável, assim como Plutão, Senhor dos Mortos e das Riquezas, nos demonstram que tamanho não é documento. Quantas atribuições e talentos, é pelas asas de Mercúrio que estamos aqui a permutar tantas Graças!

  2. Alana de Matos Gama disse:

    Foi no meu terceiro ano de ensino médio que, pela primeira vez, eu entendi algo sobre o “mensageiro” do jeito que eu considero mais difícil, a prática. Nenhum livro em especial lido anteriormente sobre ele a não ser pelo livro “O Diário De Um Mago” e que, apesar de minhas tentativas em seguir um ritual descrito pelo autor, a única coisa que eu sentia ao fechar os olhos era medo; qualquer coisa que chegasse no meu campo dos sentidos, não importava o quê, me causava terror imediatamente, resultado: desisti. Para a minha surpresa, o evento ocorrido quando eu estava no último ano de ensino médio não parou mais, uma sequência de outros eventos similares ocorreram e a minha alternativa foi: fuga. Fugi tantas vezes que penso que começou a ficar divertido pra “quem estava do lado de lá”. Hoje, relendo o mesmo livro “O Diário De Um Mago”, decidida a não lê-lo, mas estudá-lo, me deparo com a comparação de “Petrus” (nome fictício do guia de Paulo) dizendo a Paulo que o mensageiro pode ser comparado aos Hermes e Mercúrio.
    Quando fiz minha peregrinação pelo Caminho dos Anjos, as vacas/bois foi o desafio proposto pelo caminho, eu nem sequer podia imaginar que eu tinha tanto pavor de vacas/bois a ponto de subir em árvores, pular cercas de arame e até mesmo desisti; o que está acontecendo comigo nesse momento não é diferente, eu hoje estou com “vacas/bois” muito mais sofisticados ou pelo menos eu acho que seja mais sofisticado, e assim como naquela época que eu tive ajuda, acho que agora eu também irei precisar.
    Apesar de não estar em uma peregrinação literalmente falando, eu estou enfrentando uma agora que me lembra exatamente a sensação do desconhecido que enfrentei em Minas. Eu fui apesar de não saber o que esperar e acabei enfrentando muitas vacas/bois até que minha confiança pudesse ser estabelecida, mas agora eu acho que são outras “as coisas do submundo” que estão no meu caminho e sinto tanto pavor que me dói os ossos das pernas.

    Desejo a você, Paulo, tudo de maravilhoso que esta imensidão pode nos oferecer.

Leave a Reply